As minhas tranças

A mana Pretika que faz minhas tranças
Saio do meu ponto leste
Pro ponto leste Cidade Líder
Lá na quebrada dela
As minhas tranças a gente tece
Trançando meu cabelo
Conversando, dançando
Altas ideias, vários conselhos
A gente trança amizade
A preta trança na minha cabeça
A estética da nossa identidade
Pretas, latinoamericana
Em cada trança feita
Mantem-se viva na raiz dos meus cabelos
A nossa raiz africana
Cani calon é mais que estilo, beleza preta
Na cabeça trançou consciência
Pra todo dia autoafirmar a nossa resistência
A preta amiga, demora mesmo
Trança é mó trabalho, demora o dia todo
Gasto o tempo que for preciso
Pra manter viva a cultura do meu povo
E levou mó tempo tentando nos matar
Nos escravizando, criminalizando, nosso cabelo alisando
Tentaram nos matar e matar nossa história
Já era sinhô, recuperei minha memória
Alisante nunca mais, sinhor
Trancei minha cultura,
Minha beleza existe e tá aqui
Por dentro e por fora
Na minha cabeça impera negra consciência
Estética-política, beleza política
Meu cabelo é resistência
Trançando nele nosso poder
Escravidão, racismo, etnocídio, genocídio…
Ainda existe, mas vamo combater
Porque além de trança no cabelo
Eu tranço luta todo dia
Pro meu povo nunca mais sofrer
(MC Cacau Rocha)

 

20151202_162418~2[1]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s